quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Quase me esquecia!!

Loves,
Lembram-se da rubrica "Hoje estou assim"? Já deu frutos!!
Sigam-me no instagram e acompanhem o meu dia a dia bem pertinho.

Love, C

Aquele momento em que... #4

Loves,
hoje fui levar um amigo ao aeroporto e passaram-me uma série de coisas pela cabeça.
Para contextualizar, eu sou daquelas pessoas se senta para pensar uma serie de vezes, não passa dia sem eu fazer uma mini reflexão seja sobre o que for. Hoje, naquele ambiente de pessoas a chegar e a partir, vindas de não sei onde e de saída para algum lado, dei por mim a pensar que ainda hei de ter uma vida que me permita viajar pelo menos uma vez por mês. Alias, o ideal seria viajar em trabalho umas 3 vezes por semana. Eu sonho alto!
Mas imaginem o quão perfeito seria fazer algo que se gosta e ainda o poder exercer cada dia em cada canto da Europa. Ir daqui a Paris como quem vai ali a Santa Maria da Feira, passar a manhã em Londres e ir jantar a Milão. Viver em hotéis, lençóis diferentes todas as noites, janelas de quarto para todos os pormenores do mundo, pequenos almoços na cama,...

Sigo, mas sigo mesmo, uma bloguer espanhola bastante conhecida. Adoro de morte o trabalho dela e juro que se me dissessem "podes ter uma vida assim" eu largava tudo e ia para onde me mandassem e fazia o que fosse preciso. (Podem ver o instagram dela aqui.)


Enfim, adoro aeroportos.

Love, C

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

(O tipico) Dia dos namorados.


Loves,
Não podia deixar este dia em branco. Anda tudo num rodopio porque hoje é, vias de facto, o dia dos namorados – ou dos que trocam uns amaços sem ninguém saber. Uns porque têm o dito cujo e não sabem o que hão de oferecer, outros porque não têm dito cujo, não querem dito cujo e odeiam quem tem dito cujo. A estes últimos tomo a liberdade de apelidar de FRUSTRADOS.
E depois vêm vocês “Oh Carmo, frustrados não, não sejas assim. Cá para mim só dizes isso porque és toda lamechinhas e adoras o dia”. E o que é que eu respondo? “Mentira!”



Ora, e contextualizando, para vocês perceberem tudo direitinho, eu sou a pessoa menos lamechas que vocês podem conhecer. Tudo o que é florzinhas e unicórnios irrita-me solenemente, chega a dar-me vómitos. Pronto, se calhar vómitos não, mas de facto irrita-me bastante. Dito isto, não me enquadro, de todo, na minha segunda secção. Tão pouco na primeira. E é aí que vocês perguntam “Então mas se não tens namorado nem odeias quem tem, porque é que estás a escrever sobre este dia?” (Se não perguntaram, finjam, nao me estraguem o raciocínio.) Ora muito bem loves, descansem porque isto tem tudo uma explicação.
Vinha eu saindo do metro, chegando a casa rogando pragas a quem me deixou com tanto sono, quando reparo numa senhora com os seus 70 anos, toda arranjadinha, saindo do Continente. Era o típico de velhinha que não se deixa abater pela idade e continua a ir ao cabeleireiro, a arranjar as unhas e a vestir-se bem – vou ser uma destas, já agora. Ora, não foi a velhinha que me chamou a atenção, descansem, foi o sorriso dela, sorriso esse causado por algo que teria acabado de comprar. “O que era?”, perguntam vocês. Eu não sei, concretamente eu não sei, mas era uma caixinha vermelha com corações por isso todos supomos que seja um presente para o marido que está em casa à espera, bebendo um café e lendo o jornal.
70 anos, amigos, provavelmente com quase 50 anos de casados.
Isto surpreende-me, deixa-me também a mim um sorriso na cara. Não é mel, não são flores nem unicórnios, é felicidade. É felicidade e cumplicidade, ainda depois de uma vida juntos. É disto que se faz amor.

Feliz dia dos namorados, com ou sem “dito cujo”

Love, C

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Teste 1

Loves,
Encontrei esta foto perdida na minha galeria. Dois conjuntos pelas manas Lico.
Com o frio de Bragança tem mesmo de ser assim!!

Love, C